eleições 2012 – encontro com artistas e produtores culturais – aldeia do beto, curitiba/pr

O deputado Angelo Vanhoni participou do encontro com artistas e produtores culturais com Gustavo Fruet, candidato a prefeitura de Curitiba, na Aldeia do Beto, ocorrido neste sábado, 20/10. Em sua fala Vanhoni discorreu sobre os principais avanços nas políticas de Estado para o setor cultural, como a inscrição constitucional da Cultura como um direito social, as propostas em tramitação de ampliação orçamentária, a PEC-150 e o Procultura, que trata da reforma da Lei Rouanet.


Angelo Vanhoni, o músico Igor Barros Cordeiro, o vereador Jonny Stica e Gustavo Fruet.

Hoje é um dia de grande alegria para nós. No próximo domingo vamos definir quem será o futuro prefeito desta cidade. Quero ressaltar aqui a presença de diversos produtores culturais, artistas e de funcionários da prefeitura municipal de Curitiba que há muito tempo lutam para que a cidade ocupe o lugar que merece no cenário cultural do país. Este momento é de reencontro com as questões verdadeiras e importantes que a eleição do Gustavo vai permitir que a gente retome aqui na cidade.

A administraçao pública tem que ser um elemento fomentador da produção cultural e da liberdade criativa nos diversos campos da sociedade e em primeiro lugar se preocupar com a formação das pessoas, porque a cultura tem um papel essencial na formação dos valores do ser humano.

O Brasil está tentando dar um passo a frente neste sentido. O ministro Gilberto Gil, já nos primeiros anos do governo Lula trouxe esta visão de que a cultura é um direito social, e nós mudamos a Constituição e inscrevemos a cultura como um direito de cidadania, para que a população possa usufruir dos bens culturais forjados pela sociedade ao mesmo tempo em que o Estado tem o dever de fomentar as comunidades a se expressarem culturalmente. Isso é fundamental para a formação da identidade de um povo.

Após a saída do ministro Juca Ferreira esta luta mais institucional teve um enfraquecimento no Congresso Nacional, mas agora, com a ministra Marta Suplicy nós pretendemos retomar o debate. A medida, a PEC-150, está pronta para ser votada e estabelece 2% do orçamento da União para a Cultura, 1.5% dos estados e 1% dos municípios. Com isso a gente cria uma rede de recursos no Brasil inteiro para fomentar a produção cultural.

Outro programa que nós devemos retomar agora com o Ministério são os Pontos de Cultura. Que é identificar as manifestações culturais do povo brasileiro, seja na favela da Rocinha, seja na expressão do pessoal do Sítio Cercado aqui em Curitiba, que hoje se mobiliza para regatar um pouco a sua história no Museu de Periferia (MUPE), já fizeram um museu, querem se relacionar com as escolas da região e com a comunidade. Que estas iniciativas possam ter um apoio combinado do governo federal, que dá o recurso para fomentar, para fazer oficinas, e dos municipios. Nós estamos vivendo num mundo de transformação tecnológica onde é possivel preservar manifestações culturais, multiplicar o seu alcance através da rede de computadores e se comunicar com o resto do mundo.

Curitiba tem um grande desafio. Nós precisamos de equipamentos culturais, precisamos de revitalização de nossos equipamentos, precisamos formar quadros, precisamos impulsionar as artes aqui na nossa cidade. Tem um desafio enorme pra fazer e essa gente toda que está aqui e representa um grande número de pessoas na cultura está esperançosa de que a partir do ano que vem a gente comece a trilhar um novo caminho, incorporando as coisas boas realizadas pela Fundaçao Cultural de Curitiba, que faz um dos bons e grandes trabalhos dentre as capitais de todo o Brasil. Curitiba tem uma expressão cultural fortíssima.

Eu acho que agora nos vamos dar um salto nisso. O Gustavo tem um compromisso com a cultura que é valioso e pode alçar Curitiba a um novo patamar. Que ao mesmo tempo integre toda a cidade em sua prática de cultura e lance as bases para que Curitiba se insira de maneira mais autônoma com a produção cultural do eixo Rio-São Paulo, com a produção de Minas e com a produção cultural que está acontecendo no resto do mundo, porque o desafio hoje é esse com as novas plataformas de acesso aos bens culturais.

Curitiba ainda se relaciona de uma maneira tímida com a produção cultural do resto do Brasil e do mundo. Isso vale do ponto de vista de consolidar a cidade como parte integrante da produção cultural e da indústria cultural do mundo moderno. Curitiba não pode estar fora disso. Exemplo de como nós estamos são os números da Lei Rouanet, que é a principal lei que fomenta a cultura no Brasil. São 1 bilhão de reais destinados pela Lei Rouanet. O eixo Rio-São Paulo e um pouquinho do estado de Minas Gerais consomem 80% destes 1 bilhão de reais. Para Curitiba e para o Paraná só um pingadinho de dinheiro vem. Não dá pra gente continuar com esta distribuição de recursos tão díspar em relação ao conjunto do povo brasileiro.

Por isso nós queremos mudar a Lei Rouanet e fazer com que os outros estados e as outras cidades possam fomentar a produção cultural no país como um todo, seja do ponto de vista da macro política cultural, no que diz respeito a indústria cultural de maneira geral, seja no ponto de vista da gente fomentar a cultura popular, que é a raíz.

Eu me sinto muito feliz de estar aqui com vocês neste momento. O Gustavo está sendo um grande líder para fazermos esta travessia. Já passamos o pior e devemos caminhar mais nesta semana e consolidar a vitória. Eu tenho certeza que nos próximos 4 anos nós vamos ter muita alegria na realização do programa de governo do Gustavo com o PDT, o PT, o PV e os outros partidos que vieram nos apoiar neste segundo turno. Agora é um momento de unidade na cidade. Eu acho que teremos condições e legitimidade para fazer muita coisa boa. A cidade espera por isso há muito tempo e agora parece que chegou a hora!

Angelo Vanhoni


Tenho absoluta consciência e noção de que agora eu tenho que somar apoios, em especial de pessoas como vocês. Com muitos não tive a oportunidade de conversar, mas muitos de vocês são amigos de infância, amigos de caminhada política, amigos de tanta trajetória e eu tenho aqui a noção de que agora eu preciso dessse diálogo com vocês. Eu não quero discutir mais a chegada até aqui, mas, tenham em mim este canal que vai ser necessário até como garantia e segurança no mandato, para que eu possa contar com essa contribuição, com a visão crítica e com as sugestões. Mas, de forma objetiva, com a cultura na pauta e na agenda da cidade. A cultura no orçamento da cidade. A cultura com preocupação no desenvolvimento econômico, inclusão, turismo, incentivo fiscal. A cultura como fator de transformação e geração do maior legado que nós queremos deixar para as próximas gerações.”

Gustavo Fruet

Leia mais sobre o encontro na página da Aldeia do Beto.

Fotos: Gilson Camargo

Publicar um comentário

Seu e-mail nunca será publicado. Campos com * são obrigatórios

*
*

Preencha os campos corretamente!