abertura do fórum estadual de educação 2013 – curitiba/pr

Participaram da mesa de abertura, o secretário da Educação do Paraná, Flávio Arns, o reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho, o presidente do Conselho Estadual de Educação, professor Oscar Alves, a presidente da APP-Sindicato, professora Marlei Fernandes de Carvalho e o deputado federal Angelo Vanhoni.

O Fórum Estadual de Educação reúne um conjunto de entidades de representação estadual na área da educação em preparação para o Fórum Nacional de Educação, previsto para o início de 2014. O encontro tem por objetivo contribuir para a elaboração dos fóruns municipais e intermunicipais e mobilizar a sociedade no debate sobre o Plano Nacional de Educação que está em tramitação no Congresso Nacional. A discussão instaurada pelo fórum assume caráter permanente para todos que tenham ligação com o segmento.

No dia seguinte à sua abertura, o fórum promoveu no auditório da Reitoria da UFPR, a I Conferência Livre do Fórum Estadual de Educação/PR, com o tema “A Conferência Nacional de Educação: O Plano Nacional de Educação e o Regime de Colaboração” e contou com a presença do secretário executivo adjunto do MEC e coordenador do Fórum Nacional de Educação, Francisco das Chagas Fernandes, do professor da UFPR, Angelo Ricardo de Souza, da representante da Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Andrea Barbosa Gouveia e da diretora do Setor de Educação e coordenadora do fórum na UFPR, professora Andrea Caldas.

O Plano Nacional de Educação já passou pela Comissão de Economia do Senado, irá agora para a Comissão de Justiça e em seguida para a Comissão de Educação. É preciso que o Fórum Nacional e o Fórum Estadual estejam mobilizando a sociedade no Brasil inteiro. Este fórum, na realidade está destinado a fazer uma avaliação do plano. Ele vai ter que assumir uma tarefa extemporânea. As conferências municipais e estaduais tem um papel fundamental neste momento: garantir a aprovaçao do Plano Nacional de Educação pelo Congresso Nacional. Ele passou por algumas modificações na Câmara, não tivemos contraditórios entre as metas e estratégias, o conteúdo das metas foi aperfeiçoado e nós já superamos o óbice principal, que era a questão do financiamento.

Minha opinião é de que as condições para a aprovação do plano neste ano estão dadas, e que, a partir de 2014, nós tenhamos o regime de colaboração entre estados e municípios formatado e o Plano Nacional de Educação como a principal diretriz política para que a gente possa garantir um Brasil diferente no futuro.

Angelo Vanhoni

Publicar um comentário

Seu e-mail nunca será publicado. Campos com * são obrigatórios

*
*

Preencha os campos corretamente!