cultura popular – a história do bloco pré carnavalesco garibaldis & sacis – curitiba/pr

garibaldis&sacis2002_foto_gilsoncamargo_curitiba_pr9
Itaércio Rocha, fundador do bloco, durante a folia de 2002.

O Bloco Pré Carnavalesco Garibaldis & Sacis teve início em 1998 a partir de uma provocação que o artista maranhense Itaércio Rocha – hoje presidente da Associação Recreativa Cultural Amigos do Garibaldis & Sacis – fez no programa “Samba De Bamba”, apresentando pelo jornalista Rodrigo Browne, na Rádio Educativa do Paraná, convidando as pessoas a se reunir nos domingos pré carnaval para brincar a folia. Isso bastou para motivar um grupo de amigos a planejar a festa para o ano seguinte.

Em 1999, artistas ligados à Faculdade de Artes do Paraná (FAP), ao Conservatório de Música Popular Brasileira, ao Teatro de Bonecos e ao Grupo Mundaréu, encontraram-se rotineiramente nos domingos de janeiro no Saccy Bar, centro histórico de Curitiba, para discutir a organização da festa. Numa destas reuniões foi eleito o nome do bloco, “Garibaldis & Sacis”, em alusão e homenagem ao itinerário idealizado. O ponto de partida seria o Saccy Bar e o ponto final do trajeto a Praça Garibaldi. Desta forma, o bloco desfilaria pelas ruas convidando as pessoas a participar, além de buscar o resgate dos antigos carnavais de rua.

garibaldis&sacis2002_foto_gilsoncamargo_curitiba_pr2a
Olga Romero. Atriz, bonequeira e foliã.

Na concentração em frente ao Conservatório de MPB, os participantes criavam e apresentavam novas marchinhas enquanto confeccionavam as máscaras e adereços. Nos primeiros anos esta concentração era realizada na casa de alguns dos integrantes do bloco, que depois se dirigiam para o Largo da Ordem fantasiados, improvisando cantigas, cantando, tocando e brincando o pré carnaval com música e diversão.

garibaldis&sacis2002_foto_gilsoncamargo_curitiba_pr8
Gerson Guerra e Alexandre Nero, puxando o bloco em frente ao Conservatório de MPB.

Ao longo dos seus 12 anos de existência o Garibaldis & Sacis sofreu várias transformações – a começar pela questão do som – que o ajudaram a construir e organizar uma estrutura capaz de acolher os foliões e seguidores que aumentavam a cada domingo.

No primeiro ano as marchinhas foram cantadas no gogó mesmo, na garganta. A primeira evolução foi um megafone trazido por Gerson Guerra, seguida pela “Charanga do Rosinha”, um carrinho de supermercado improvisado, adaptado com alto falantes que garantiam a distribuição do som na festa. Essa parafernália logo recebeu uma plataforma com um som mecânico alimentado por bateria e dois microfones, transformado de improviso em uma máquina de som e alegria. Aos poucos, o bloco desfilava nas ruas e despertava a atenção dos populares que se divertiam e seguiam cada vez em maior número aquele cortejo animado.

garibaldis&sacis2002_foto_gilsoncamargo_curitiba_pr10

Paralelo ao crescimento do bloco, o aparato de som também se desenvolveu. O músico Ricardo “ô Rosinha”, mesmo criador do invento com o carrinho de supermercado, levou para as ruas um Fiat Fiorino com o som que ajudou a fazer a festa até 2008. Nos anos seguintes, financiado pelos próprios foliões, o bloco contratou uma Kombi que funciona como mini trio elétrico.

Inicialmente o desfile começava por volta das 13 horas, na tentativa de aproveitar o público que se dirigia até o Largo da Ordem para fazer compras ou passear pela Feira de Domingo e terminava com um grande Cacuriá, em que todos participavam. Com o aumento do número de pessoas que o seguiam e um entrave referente ao horário da missa de domingo na Igreja de São Francisco da Ordem, que coincidia com o horário de saída do bloco, o início da festa foi adiada para às 15h30 e o ponto de partida alterado para a frente do Memorial da Cidade, também no Largo da Ordem.

 


Em 2010, o Garibaldis & Sacis reuniu cerca de 6 mil pessoas a cada domingo em que saiu às ruas.

Nos últimos anos o bloco e seus foliões realizaram, periodicamente, sambas de mesa em frente ao Conservatório de MPB, no bar do Cícero, hoje conhecido como bar Brasileirinho. Além dos sambas, os encontros resultaram em outras duas festas populares que agora ocorrem anualmente: O “Arraial da Anita”, uma festa com temática junina (quadrilha, batuques e fandangos) fora de época, realizado de maneira comunitária e o “Sarau do Saci”, evento em que artistas da cidade apresentam poesias, músicas, histórias e contos em frente ao Relógio das Flores. Uma celebração de primavera aberta ao grande público, com forte foco na infância, pois, nela são homenageados o Dia de Cosme e Damião, o Dia das Crianças e o Dia da Padroeira, Nossa Senhora Aparecida.

garibaldis&sacis2002_foto_gilsoncamargo_curitiba_pr5

Através do Garibaldis & Sacis, Curitiba exibe suas diferenças e peculiaridades em uma festa que resgata o carnaval de rua e se revela como referência de arte e cultura. Um pré carnaval de misturas, em que a celebração das diferenças toma, ano a ano, as ruas do centro histórico da cidade.

Fontes: Bina Zanette e Wilson Lirou
Fotos: Gilson Camargo. Fevereiro /2002

ARCAGS & Vanhoni 6 web
A partir da esquerda: Rogério Guiraud, Elisete Iunskovski, Leandro Leal, Marcel Cruz, Bina Zanette, Angelo Vanhoni, Itaércio Rocha, Luiz Nobre e Marcia Rodrigues. Foto: Eduarda Prata

Integrantes do bloco pré carnavalesco Garibaldis & Sacis estiveram no gabinete do deputado Angelo Vanhoni, em Curitiba, solicitando apoio para a requalificação das áreas utilizadas no evento, que já conta com 12 anos de existência e se constitui numa festa importante da cidade. As principais necessidades do grupo dizem respeito à segurança pública durante a passagem dos foliões, a instalação de banheiros químicos e a reserva de espaço no final da Feira do Largo da Ordem nos dias em que o bloco sai às ruas, assim como de locais adequados para guardar os instrumentos.

O deputado ressaltou o reconhecimento que a cultura popular vem recebendo das instituições públicas brasileiras por sua relevância no conjunto de manifestações culturais do país, e se comprometeu em encaminhar o pedido do grupo à Secretaria Estadual de Cultura e aos orgãos da Prefeitura encarregados de organizar os eventos de grande porte na cidade. Ainda na mesma reunião o deputado sugeriu que o bloco entrasse com uma solicitação de alvará de utilidade pública, visando garantir a presença do carro de som nas próximas saídas do bloco.

2 Comentários

  1. 21 de janeiro de 2011

    Bacana, deputado.
    Esperamos mesmo apoio ao mais original carnaval de Curitiba.
    Vida longa aos Sacis&Garibaldis!

  2. 27 de janeiro de 2011

    Olá, boa noite. Sou a Ellen da fabricatto abadas, Estamos a 15 anos no mercado com excelentes preços e qualidade e tempo recorde para entrega de abadas e camisetas para tdo o Brasil.
    Posso mandar uma amostra gratis para apresentar nossos produtos, temos abada digital, a qualidade da impressao de fotografia!
    http://www.fabricatto.com.br
    (77) 3451 6123 \ 9148 9641 tim
    MSN: fabricattovendas4@htmail.com

2 Trackbacks

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Leandro Leal, Angelo Vanhoni. Angelo Vanhoni said: Cultura popular. Conheça a história do bloco pré-carnavalesco Garibaldis & Sacis, de Curitiba. No blog: http://bit.ly/fTzIYM […]

  2. By Pré Carnaval em Curitiba | FINESTRINO on 5 de fevereiro de 2011 at 16:36

    […] (não tinha fotinhos, então as imagens desse post são de autoria do fotografo Gilson Camargo, neste site) […]

Publicar um comentário

Seu e-mail nunca será publicado. Campos com * são obrigatórios

*
*

Preencha os campos corretamente!