saúde pública veterinária – unidade móvel de esterilização de cães e gatos e educação em saúde – ufpr

vilaosternack foto gilsoncamargo curitiba1 saúde pública veterinária   unidade móvel de esterilização de cães e gatos e educação em saúde   ufpr
Cães sem guarda responsável na Vila Osternack, em Curitiba.

No Brasil milhões de cães e gatos vivem nas ruas, sendo que grande parte deles foi abandonada por seus donos. A situação gera diversos problemas, tanto no que diz respeito ao bem-estar animal como à saúde pública, pois, a população humana fica exposta à disseminação de doenças. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera inapropriada e dispendiosa a política de captura e extermínio dos animais como forma de controle populacional e de zoonoses. Atualmente, especialistas defendem como formas de combate à superpopulação, medidas como a cirurgia de castração, atividades educativas e regulamentação de políticas públicas voltadas à saúde pública veterinária.

Para ajudar no controle desta população e, principalmente educar, o Curso de Medicina Veterinária da UFPR criou o castramóvel, idealizado pelo professor dr. Antonio Felipe Wouk. Trata-se de um ônibus adaptado para ser uma Unidade Móvel de Esterilização de cães e gatos, equipado com materiais cirúrgicos, além de um local adequado para o atendimento pós-operatório. Segundo o coordenador do projeto, professor Alexander Biondo, “não adianta fazer a castração se não houver conscientização por parte da população sobre como cuidar dos seus animais”. O projeto, portanto, atua em três frentes: treinamento de estudantes do curso de Medicina Veterinária em técnica operatória, redução da população de cães e gatos por meio da castração e orientação pelos alunos e professores sobre a guarda responsável.

ufpr umees foto gilsoncamargo julho2010d saúde pública veterinária   unidade móvel de esterilização de cães e gatos e educação em saúde   ufpr
Daniele Krueger, aluna do curso de Medicina Veterinária, demonstra um procedimento de consulta no interior da Unidade Móvel.

Através de emenda parlamentar de autoria do deputado federal Angelo Vanhoni no valor de R$100 mil, serão comprados materiais cirúrgicos e medicamentos, dando condições para que o ônibus atenda tanto em bairros da cidade de Curitiba, como em outros municípios da região metropolitana e do litoral.

Segundo informações do Departamento de Veterinária da UFPR, no momento aguarda-se o levantamento por parte da prefeitura de Curitiba sobre as regiões que deverão ser atendidas. O ônibus fará uma primeira visita para elencar e examinar os animais que devem passar pelo procedimento e em outro momento, estacionado no bairro, o ônibus vai receber moradores que queiram castrar seus animais. Após a participação do dono em atividades educativas sobre guarda responsável, o bicho será encaminhado a uma avaliação clínica e, de­­pois à castração. No litoral, a unidade  passará por todos os sete municípios: Morretes, Antonina, Paranaguá, Guaraqueçaba, Pontal do Paraná, Matinhos e Guaratuba. Durante o Projeto Operação Verão, alunos do Curso de Veterinária, além de acompanhar o atendimento e demonstração no ônibus, farão ações educativas junto aos moradores e turistas.

Segundo a Sociedade Mundial Para a Proteção dos Animais (WSPA), uma única cadela, com uma vida reprodutiva de 6 anos, poderá dar origem a 6000 descendentes; uma gata, em apenas 2 anos, poderá deixar 2000 descendentes. Estes dados explicam o problema da superpopulação de animais de companhia enfrentado por muitos países. Em material elaborado pelos alunos e professores, a principal orientação do grupo à população é a mais simples: jamais abandonar um animal de estimação.

ufpr umees foto gilsoncamargo julho2010h saúde pública veterinária   unidade móvel de esterilização de cães e gatos e educação em saúde   ufpr

O professor Alexander Biondo (imagem acima), alerta que o problema não está necessariamente na superpopulação; “podemos ter 10 cães dentro de casa e se eles estiverem recebendo todos os cuidados necessários isto não é errado. A falta destes cuidados, desde vacinação, castração e higiene, sim, é a causa de outros problemas bem mais graves, pois, os animais servem como sentinelas das doenças de uma cidade. Nos últimos 30 anos, de cada quatro doenças emergentes nos seres humanos três eram zoonoses, ou seja, vieram dos animais”.

A formulação de políticas públicas que incentivem iniciativas como a da UFPR é destacada por Biondo como reivindicação antiga daqueles que militam na área: “Tivemos uma audiência neste ano junto ao Secretário Nacional de Vigilância em Saúde, intermediada pela Gleisi Hoffmann. Fomos reivindicar a elaboração de políticas públicas para o tema. Para se ter idéia, existem municípios brasileiros que ainda usam o método da “carrocinha”, um método de 40 anos atrás! Outra bandeira que ainda não conseguimos conquistar e reivindicamos é a inserção de cães e gatos como categoria do censo brasileiro. Eu não sei lhe dizer, por exemplo, quantos cães e gatos temos na cidade de Curitiba. Acredito que esta área ainda precisa avançar muito. Trata-se de Saúde Pública.”

Em resumo, a solução mais importante é cuidar bem dos animais, o que chamamos de Guarda Responsável.

Fotos: Gilson Camargo

ufpr umees foto alexanderbiondo julho2010 saúde pública veterinária   unidade móvel de esterilização de cães e gatos e educação em saúde   ufpr

O professor dr. Antonio Felipe Wouk, criador do projeto e o deputado Angelo Vanhoni durante a inauguração da Unidade Móvel de Esterilização de Cães e Gatos e Educação em Saúde (UMEES), que aconteceu no campus do Centro Politécnico, em Curitiba. Na demonstração, professores do Departamento de Medicina Veterinária da UFPR esterilizaram seis cães abandonados. Os animais foram encaminhados para adoção. Foto: Alexander Biondo.

12 Comentários

  1. Nathália
    26 de julho de 2010

    Olá
    não sei como começar a falar…
    mas aqui em Antonina Paraná litoral sabe
    está precisando urgentemente de um canil municipal sei que é caro e tem que ter muita responsabilidade mas vocês não tem noção de quantos cachorros tem aqui maioria vive na rua são bonitos só precisam de cuidados e de um lar pois se tratar castrar enfim as pessoas vão querer levar para casa ah e fora que tem que fazer um termo sei lá que o responsavel que adotar o cao tem que cuidar e fazer um vistoria se o animal estal sendo cuidado
    mas primeiramente alguém deveria fazer um canil é horrivel ver eles jogados…

  2. 30 de julho de 2010

    Ola Nathália,

    A UFPR trabalha em parceria com a Prefeitura de Antonina há mais de um ano tentando entender e resolver o problema de forma conjunta. O censo de cães feito no município em 18/10/2009 mostrou que há mais de 1 cão para cada 3 pessoas (1: 2,61), bem mais alto que Curitiba e Metropolitana (média 1:4). Como ações, Antonina inseriu em 2010 o tema guarda responsável nas escolas municipais, bem mais eficiente que o recolhimento de cães em canis. Graças à emenda parlamentar do Deputado Ângelo Vanhoni, o “Castramovel” da UFPR está agendado para visitar Antonina no dia 28 de setembro de 2010. Seja benvinda.

    Prof. Dr. Alexander Biondo, um dos coordenadores do Projeto UMEES (Unidade Móvel de Esterilização de cães e gatos e Educação em Saúde) – “Castramóvel” – UFPR.

  3. Caio
    31 de agosto de 2010

    Deputado Angelo sou da Cidade de Pinhais e as informaçoes que obtive foram que o onibus nao está atuando nas regioes metropolitana , bem como Curitiba por motivo de nao ter o material para as castraçoes, Pinhais através da Prefeitura esta suprindo os materiais, o Sr. escreveu que mandou 100 mil reias para compra de materiais, esta verba ainda nao chegou ou nao foi utilizada para este fim. Obrigado

  4. Rafael
    29 de setembro de 2010

    Ola Alexander Biondo, eu vi ontem o onibus de vcs numa escola municipal ali no batel, mas eu quero dizer é que em Antonina nao existe “caes de rua” existe donos irresponsaveis, e pensam que seus caes nao precisam de comida nem de agua o cao fica o dia todo na rua virando latas, e rasgando sacos de lixo, atras de comido e tudo isso vira uma bosta soh… Tenho dois caes(pastores alemaes) nao posso sair pra passear com eles pq na rua da minha casa fica cheio de cachorro solto, que querem avancar neles, intao eu acho que deveria ter um processo de chipagem em todos os caes caso fosse pego algum na rua os donos receberiam um multa do tamanho da irresponsabilidade deles.
    Outra coisa, essa campanha de castracao é so para algumas familias cadastradas, e nao pra todos que procurassem vcs, um funcionario da area de saude de Antonina que me passou essa informacao.

    Obrigado.

  5. Sabrina Braz Da Silva
    13 de outubro de 2010

    Ola.queria saber quando que vcs viram pra Santa felicidade..tenhoo4 gatos e 3 estao pra criar,nao temoss corage de mandar emboraa,e nao temos condiçoes pra mater eles…Vc tambem atende ah domiciliooo?

    é URGENTE

  6. iracema maria possenti
    13 de outubro de 2010

    Resido no litoral, em Praia de Leste, minha urgencia é com relação a minha cachorra “MADONA” que tem uma bola na barriga (pode ser um nodulo/mioma) achei ela na rua ja fazem 5 anos que esta comigo, ela tem uns 10 anos e eu a amo muito, pois é minha amiga e companheira. Fiquei sabendo da intenção do onibus vir ao litoral. Não posso pagar uma cirurgia em clinica veterinaria, mais sim uma ajuda de custo (como o material usado ou medicamentos). Posso ter uma resposta a este respeito. Aqui temos muitos animais abandonados, pois os turistas trazem seus animais de estimação e o abandonam quando vão embora. Conto com a colaboração de voces. (será que não dá pra fazer um convenio dom a prefeitura municipal de pontal do paraná.) para esterilizações futuras. Muito agradecida. Iracema.

  7. carmem
    4 de janeiro de 2011

    Será que vale a pena escrever aqui?
    Vamos lá.
    Em preimeior lugar que dizer que é bom ver que mesmo distante e utopico,parece que temos novidades que esperavamos a muito tempo por aqui.
    Sei que o trabalho que vcs est~~ao tentando fazer é muito bom para começar.
    Vi uma materia a respeito das preomessas de campanha do Beto Richar. Nela, ele dia que vai criar uma centro de apoio aos animais abandonados em Paranagua.
    Seria um grande milagre. Eu creio em milagres, mas os que são realizados por Deus.
    O que eu saber é quando vcs virão para paranagua?
    Se este trabalho é somente para animai que tem tutores, ou se é para animais de rua tambem?
    Acho que p/ resolver o problema, seria começar o trabalho pelos pobres coitados que vievem nas ruas, nos potões de seus donos, pois é isto que eles fazem aqui.
    Você poderia me dar uma posição. Vou publicar o seu trabalho no meu blog na rede bicho, OK?
    Abraços CARMEM CAMPOS PARANAGUA Pr.

  8. simone lopes barbosa
    29 de outubro de 2012

    Adotei uma cadela de rua, ela criou 9 cachorrinhos eu queria fazer uma laqueadura nela pois nao tenho como criar muitos animais em casa preciso saber onde encontro esse tipo de serviço e o valor da cirurgia.

  9. Vera Lucia Sassi
    6 de dezembro de 2012

    Moro no litoral paulista, na cidade de Itanhaém. Pelas estatísticas, hoje Itanhaém tem cerca de 30.000 animais de rua, incluindo cães, gatos e cavalos. Não existe um política pública de conscientização da população para a posse responsável por aqui. Existe o turista que vem a passeio e abandona o bichinho à propria sorte. Já tenho 5 gatos e 2 cachorras que adotei por não suportar ve-los em situação de abandono. É todo final de semana, aparecem cães de raças variadas, poodles, pincher, collie, pastor-belga e por aí vai. Uma das minhas adoções foi uma cadela da raça Akita, branca pura, cega e com uma doença de pele, a dermatite canina. depois que a acolhi descobri porque foi abandonada; o tratamento custa uma fortuna entre medicamentos e shampoo de manipulação mais as consultas mensais. Gasto mais de R$300,00 por mes com ela fora a alimentação.
    A posse responsável demanda um sistema onde o bichino deveria receber um chip ao nascer e o dono deveria ser cadastrado. Ao encontrar o animal em situação de risco, o dono deveria pagar uma multa bem pesada e voltar a cuidar do animal. Assim, só adotaria um animal de estimação aquele que realmente gosta, não por status ou brincadeira.

  10. Doralice
    3 de fevereiro de 2013

    Olá professor Biondo,
    A preocupação em relação aos animais de rua é válida, acredito que campanhas nas escolas sobre guarda responsável também contribuam para transformar esta realidade.
    Gostaria que o projeto viesse para Paranaguá, pois temos grande número de animais abandonados.
    Estou disposta a ajudar no que precisar.

    Abraço,
    3 de fevereiro de 2013
    Doralice

  11. ana maria de paula
    26 de março de 2013

    encontrei uma cadelinha e adotei,logo depois foi a vez de uma gatinha,só não imaginava o trabalho que dava no cio,peço que por favor me informem onde posso fazer a castração,não tenho condições financeiras,por isso peço auxilio.desde ja grata pela atenção.

  12. beth linke
    27 de agosto de 2013

    bom dia, gostaria de uma indicaçao para aquisiçao do onibus movel, aonde adquirl-lo custo…
    agradeço a atençao
    aguardo retorno

3 Trackbacks

  1. [...] This post was mentioned on Twitter by Edson Rimonatto, Angelo Vanhoni. Angelo Vanhoni said: UFPR propõe medidas educativas p/ guarda responsável de animais domésticos. Confira matéria em nosso blog http://bit.ly/cArofb [...]

  2. [...] saúde pública veterinária – unidade móvel de esterilização de cães e gatos e educação em … [...]

  3. By acervo de publicações do blog at Angelo Vanhoni on 29 de setembro de 2010 at 18:45

    [...] saúde pública veterinária – unidade móvel de esterilização de cães e gatos e educação em … [...]

Publicar um comentário

Seu e-mail nunca será publicado. Campos com * são obrigatórios

*
*

Preencha os campos corretamente!